18 de ago de 2013

I'll Make You Believe – Capitulo 16


‘Por Victoria Marie

1 Semana depois

--Não acredito que estamos indo ver o Justin. –Ane disse animada- Ele já sabe que estamos indo?
--Não. –a respondi- ele não pode nem sonhar que estamos indo. Se ele souber que estamos indo vê-lo em semana de provas ele me mata.
--Posso levar o Brian? –ela perguntou e eu a olhei-
--Brian já está lá. –a respondi-
--O que? Como ele foi pra lá? Eu estava com ele ontem.
--Ele foi hoje de manhã. Justin ligou pra ele ir.
--E quando nós vamos?
--Amanhã de manhã.

 ---------------//---------------

‘Por Justin Bieber

--O QUE? Não ela não pode estar aqui. Ela está na escola agora. Ela está no Canadá. –disse para Alfredo assim que ele me disse que Victória estava aqui-
--Então a garota que está lá em baixo é irmã gêmea dela. O que não é possível porque Victória não tem irmãos. –ele disse-
--Eu vou lá.
Sai do meu quarto às pressas e desci as escadas dando de cara com Victória rindo junto a uma garota ruiva um pouco mais alta que ela.
--Posso saber por qual motivo e ou circunstancia você está aqui? –perguntei cruzando os braços- Que eu saiba você está em semana de provas e não pode faltar.
--Oi Justin. Sim, eu fiz uma boa viagem. E sim, eu estou bem. Essa é Ariane. Justin, Ariane. Ariane, Justin.
--Ariane –falei a abraçando- é um prazer conhece-la. –ela me abraçou forte-
--O prazer é meu. –ela sorriu-
--Agora, o que vocês estão fazendo aqui? –refiz a minha pergunta-
--Eu disse que vinha atrás de você. –Victória falou-
--Achei que estava brincando.
--Eu nunca brinco. –ela sorriu- O que você estava fazendo?
--Nada. –ela me olhou com uma cara de eu sei que você está mentindo- Que foi?
--Nada. O Brian está aqui?
--Ele chega daqui a pouco. Por quê?
--Porque a Ane tá com saudade dele. Vem Ane - ela disse puxando a pobre Ariane pelas escadas-
--Não quero bagunça ai em cima. –gritei-
--Vá se ferrar Bieber. –ela gritou de volta-
‘Por Victoria Marie

--O que vamos fazer? –perguntei a Justin assim que Ariane saiu com Brian-
--Não sei. O que quer fazer? –ele me olhou-
--Comida. Estou com fome. –me levantei e fui até a cozinha. Justin veio logo depois-
--Não faço ideia do que vamos fazer.
--Vamos?
--Na verdade, vou. Por que você não sabe fazer nada.
Ele anda lentamente para mim, com os olhos ardendo. Estamos nos encarando, degustando um ao outro, em uma atmosfera de eletricidade entre nós, quase queimando, sem dizer nada apenas olhando. Eu mordo meu lábio. Eu vejo minhas reações refletidas na sua postura, em seus olhos.
Em um piscar de olhos, ele me agarra pelos meus quadris e me puxa para ele, enquanto as minhas mãos alcançam o seu cabelo e sua boca me reivindica. Ele me empurra contra a geladeira, ouço vagamente o barulho das garrafas e frascos protestando, e sua língua encontra a minha. Eu lamento em sua boca, e uma de suas mãos se move para o meu cabelo, puxando minha cabeça para trás, nós nos beijamos, selvagemente.
--Justin, o que você - ele me interrompe-
--Você confia em mim?
--Sim. –respondo quase que imediatamente-
Ele se liberta, recolhe-me em seus braços, e leva-me rápida e apressadamente sem nenhum esforço para seu quarto. Deixa-me em pé ao lado de sua cama, se inclina e liga a lâmpada da cabeceira. Ele olha rapidamente em volta e fecha as cortinas.
--E agora? –pergunto-
--Confie em mim.
Ele sorri e engancha o dedo indicador no decote da minha blusa, me puxando em direção dele. Lentamente começa a tirar minha blusa. Ele chega até o cós do meu jeans, abre o botão e puxa para baixo o zíper. Ele coloca meus cabelos para o lado deixando doces beijos suaves e longos da base da minha orelha até a minha garganta.
Conectando os polegares no meu jeans, ele gentilmente o puxa junto com minha calcinha pelas minhas pernas. Eu saio das minhas roupas, agora eu estou vestindo apenas o sutiã. Ele sorri maliciosamente. Eu fecho meus olhos, mortificada, mas ao mesmo tempo excitada.
Ele me beija e liberta sua língua. Eu gemo e punho minhas mãos em seu cabelo. Ele não para, a língua dele circula meu clitóris, me deixando louca, mais e mais, voltas e voltas. Ahh... Só se passaram... Quanto tempo...? Oh.
--Justin, por favor.
Ele não para de sua tortura doce e requintada. Eu gemo alto.
--Justin, por favor. –repito-
Ele se levante olha para mim, e seus lábios brilham com a evidência da minha excitação.
Ele tira toda sua roupa rapidamente. Agarra-me pelos meus ombros, e me joga na cama. Ele vai até seu jeans descartado, e pega um envelope de preservativo. Ele está ofegante, como eu.
--Tire o seu sutiã.
Sento-me e faço o que ele está dizendo. Deito-me, olhando para ele, enquanto ele lentamente coloca  preservativo. Eu o quero tanto. Ele e olha pra mim e lambe os lábios. Ele se inclina sobre a cama e lentamente se arrasta para cima de mim, me beijando pelo caminho. Ele beija cada um dos meus seios e provoca meus mamilos, um por vez, enquanto eu gemo e me contorço embaixo dele, ele não para.
Olhando para mim, ele empurra minhas pernas com seus movimentos e paira sobre mim. Sem tirar os olhos dos meus, ele se afunda em mim em um ritmo deliciosamente lento.
Eu fecho meus olhos, saboreando a plenitude, a sensação extraordinária de sua posse, instintivamente minha pélvis inclina-se para encontra-lo para se juntar a ele, e eu gemo alto. Ele puxa de volta e muito lentamente, enche-me de novo. Meus dedos encontraram o caminho para eu cabelo sedoso e rebelde, e ele,  oh... tão lentamente se move dentro e fora de mim.
--Mais rápido, Justin, mais rápido... Por favor.
Ele olha para mim e beija-me duramente, então realmente começa a se mover. Ele define um ritmo acelerado. Eu começo a acelerar, minhas pernas enrijecem embaixo dele.
--Goze bebê, -ele suspira- dê para mim.
Suas palavras são a minha perdição, e eu explodo magnificamente, com a mente entorpecida, em um milhão de pedaços ao redor dele, e ele segue chamando meu nome. Ele cai em cima de mim, com a cabeça enterrada em meu pescoço.

Quando a sanidade retorna, eu abro os olhos e olho para Justin. Sua expressão é macia, suave. Ele acaricia o nariz contra o meu, levando o seu peso nos cotovelos, com as mãos segurando os lados da minha cabeça. Ele planta um beijo suave nos meus lábios enquanto se retira de mim.
-- eu te amo. –ele respira-
--Eu também te amo. -eu sussurro-

Ele pega o meu queixo e me beija forte. Um beijo apaixonado, suplicante, pedindo o que? Eu não sei. Isso me deixa sem folego.
Continua...
+5 Comentários


Gente, que capitulo é esse? Essa não sou eu. Pura safadeza, porem ele ficou pouquinho romântico no final.  Awn, eles se amam. FinalmenteVocê gostaram desse capitulo né? Claro que sim, vocês são umas safadas.Comentem bastante ok, caprichei muito nesse capitulo. Espero que gostem.

Divulgando →Revlon Fanfics || Bitches Love Justin

7 comentários:

  1. continua pelo amor de deus cara'-'

    ResponderExcluir
  2. "Claro que sim, vocês são umas safadas." HAHAHAHAHAHA OMB! só você mesmo! respondeu por mim já! Continua!

    ResponderExcluir
  3. aceita afiliação ? http://dream-with-bieber.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. amoor, muito obrigada por aceitar a afiliação com meu blog ><
    vou arrumar a elite, colocar você lá e seguir seu blog
    valeu mesmo <3

    ResponderExcluir
  5. realmente ta perfeito amor :))
    mano eu ri "goze bebê" dudete quietinha cadê você??
    KKKKK ta parei ~ ta perfeito continua em cara
    te amooooooooo muitoooo

    ResponderExcluir

Leia antes de comentar por favor



• Leu? Comente
• Gostou? Comente
• Não Gostou? Comente.

♦ Sua Opinião é sempre bem-vinda, seja ela positiva ou não.

✓Vocês já devem saber que o Google está excluindo blogs que deixam o URL nos comentários,para o bem do nosso blog, use esse
exemplo: fcjdbbrasil1(blogspot.com)

♠ Volte Sempre